terça-feira, 26 de outubro de 2010

Vai ver que é assim mesmo e vai ser assim pra sempre, vai ficando complicado e ao mesmo tempo diferente. Estou cansado de bater e ninguém abrir, você me deixou sentindo tanto frio. Não sei mais o que dizer, te fiz comida, velei teu sono, fui teu amigo, te levei comigo. E me diz: pra mim o que é que ficou? Me deixa ver como viver é bom. Não é a vida como está, e sim as coisas como são. Você não quis tentar me ajudar . Então, a culpa é de quem? Acho que o imperfeito não participa do passado. Troco as pessoas, troco os pronomes, preciso de oxigênio, preciso ter amigos, preciso ter dinheiro, preciso ter carinho. Acho que te amava, agora acho que te odeio. São tudo pequenas coisas e tudo deve passar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário